A pornografia dentro da igreja




Não há como não concordar que a cultura ocidental está passando por um momento de sexualização como nunca antes observado. Desde embalagens que lembram os contornos físicos humanos para atrair olhares de forma instintiva até o modo de se vestir despudorado que tem se adotado com o passar dos anos, podemos notar que os apelos sexuais vem por todos os lados, inclusive na intimidade de nossos lares.

A internet trouxe consigo inúmeras facilidades e possibilidades, mas também permitiu que conteúdo erótico fosse distribuído da maneira mais eficiente e eficaz possível, gerando um mercado lucrativo, mas que tem desestabilizado mentes e destruído vidas. Antes que você tome a conclusão precipitada de que essa informação é exagero sem fundamento, faça uma busca na internet sobre vício em pornografia (termo em inglês: pornography addiction). Você verá que essa é uma realidade comprovada por vários pesquisadores sem nenhuma ligação com qualquer religião.

De acordo com o Jornal de Saúde Adolecente (publicação especializada em medicina e saúde adolescente nos Estados Unidos. Site: http://www.jahonline.org ), a exposição prolongada de jovens à pornografia leva a:

a) Uma percepção exagerada de atividade sexual na sociedade.
b) Redução de confiança entre casais.
c) Descrença na monogamia sexual.
d) Crença de que a promiscuidade é algo normal.
e) Crença que abstinência ou inatividade sexual é algo prejudicial a saúde.
f) Ceticismo sobre o amor ou a necessidade de carinho entre parceiros sexuais.
g) Crença que o casamento leva ao aprisionamento dos desejos sexuais.
h) Tendência a não desejar formar família ou ter filhos.

Entre os casados a sociologista e terapeuta familiar Jill Manning pode identificar através de pesquisas a relação entre o consumo de pornografia e as seis tendências comportamentais abaixo, entre outras:

1) Aumento dos problemas conjugais e risco de separação ou divórcio.
2) Diminuição da intimidade conjugal e da satisfação sexual.
3) Infidelidade.
4) Aumento do apetite por mídias pornográficas que estejam ligadas a praticas sexuais abusivas, ilegais ou inseguras.
5) Desvalorização da monogamia, do casamento e da criação dos filhos.
6) Um número crescente de pessoas lutando contra comportamentos compulsivos e vícios sexuais.

Talvez você tenha se identificado em algumas dessas situações. Se este foi o caso, não se assuste, pois você não está sozinho. A pornografia se infiltrou na sociedade moderna e por ela o inimigo de nossas almas tem controlado muitas vidas.

Mas o que acontece em nosso corpo quando assistimos pornografia? Ao ser estimulado sexualmente nosso cérebro libera dopamina, um neurotransmissor responsável, entre outras coisas, por nos ajudar a “lembrar” como podemos satisfazer nossos instintos naturais. Quando consumimos pornografia, principalmente por um longo período de tempo, temos uma onda após outra dessa substância encharcando nosso cérebro com uma dosagem fora do normal de prazer. O cérebro chega a um ponto de fadiga e passa a limitar a liberação de dopamina, deixando a vítima da pornografia querendo mais porém sem conseguir atingir o mesmo nível de satisfação. Até mesmo o ato sexual real vai perdendo a graça e então passa-se a experimentar e procurar cenas e situações cada vez mais fortes e fora do comum para se conseguir sentir o mesmo que se sentia no começo. Tudo parece uma besteira até o momento em que a pessoa decide parar. O vício pela pornografia por vezes só é percebido quando a situação está saindo do controle. Não se consegue deixar de consumir, e como uma droga leva e outra mais forte, a vítima vai se afundando cada vez mais nesse poço escuro onde no fundo se encontrará a total servidão do ser humano ao pecado.

Já em 2002 a Academia Americana de Advogados Matrimoniais revelou os seguintes dados assustadores:

68% dos divórcios envolviam o fato de um dos companheiros encontrar um novo amante na internet.

56% envolviam o fato de um dos companheiros ter um interesse obsessivo por sites pornográficos na internet.

47% envolviam o fato de se passar muito tempo na internet.

33% envolviam o fato de se passar muito tempo em salas de bate-papo.

Como era de se esperar, tal comportamento também está presente dentro da igreja. Conforme pesquisa realizada pela General Social Survey (instituição americana de pesquisas demográficas. Site: http://www3.norc.org/GSS+Website ), pessoas que se autodeclaram fundamentalistas são 91% mais propensas a consumir pornografia que o público em geral. O anonimato proporcionado pela internet permite uma vida dupla que a cada dia afunda o cristão na lama de que ele tanto deseja se limpar, enquanto a culpa e o desespero por não conseguir se livrar dessa situação o corroem por dentro.

Enquanto fora da igreja o consumo de pornografia é comum e aceitável, dentro da igreja é algo extremamente condenável. Não existe suporte para os que desejam abandonar o consumo da pornografia, sendo o assunto ignorado por muitos pastores por não saberem como abordar e ajudar os que precisam. Isso tem gerado uma contaminação generalizada entre os membros, deixando-os desamparados em uma peleja que por vezes é longa e cheias de desafios.

Não estou vitimizando o cristão que consume pornografia, colocando-o como vítima da situação, pois para que qualquer vício se instale em nossas vidas é preciso que tomemos os primeiros passos. Todavia é preciso que as igrejas se preparem cada vez mais para receber estas pessoas, ajudando-os a lutar contra seus instintos e tornarem-se parte do corpo de Cristo como células saudáveis e fortes. Não adianta ignorar o assunto, pois isso construirá uma igreja doente e impura, com membros de vida dupla e afogados em culpa.

Porém ainda mais importante que a intervenção pastoral é o cuidado diário dos pais. Com alguns cuidados simples é possível diminuir a exposição de seus filhos a pornografia, que, aliados com conversas sobre o perigo do consumo desse tipo de material auxiliarão o filho rumo a uma vida sexual saudável e plena, sem vícios ou transtornos, conforme Deus planejou. Alguns cuidados a serem tomados são:

1 – Coloque o computador em local de grande circulação ou sem porta, sempre com a tela virada para entrada do ambiente. Isso lhe permitirá acompanhar quantas horas o seu filho fica no computador e inibirá o acesso a conteúdos não condizentes a vida cristã.

2 – Imponha limites de tempo no computador. É preciso que o jovem desenvolva outros aspectos de sua vida, como a prática de exercícios, a leitura e os estudos. Lembre-se: tudo em excesso faz mal.

3 – Chame um técnico em informática para configurar (ou faça você mesmo) o roteador de sua internet com o serviço Family Shield (a tradução significa escudo da família) da empresa Open DNS:
https://www.opendns.com/home-internet-security/parental-controls/opendns-familyshield/ Este serviço bloqueia no seu roteador o acesso a sites com conteúdos pornográficos, não permitindo que nenhum aparelho conectado a rede da sua casa (por WiFi ou cabo) consiga acesso a esses sites. O serviço é gratuito e não diminui em nada a velocidade da internet. É a melhor opção hoje em dia, mas lembre-se de pedir ao técnico que mude a senha para acessar as configurações do roteador, de modo que somente você saiba, para que não desativem o serviço sem sua permissão.


Se você é um(a) jovem e veio até aqui por desejo de se livrar de vez da pornografia, parabéns! Você já tomou o primeiro passo. Agora tente seguir algumas dessas dicas:

1 – Evite ficar sozinho(a) em casa. Visite os amigos, vá aos cultos, vá para a academia. Não abra espaço para que o vício lhe chame e você vá para frente do computador.

2 – Procure ler a Bíblia todos os dias para que a força do espírito prevaleça sobre a carne.

3 – Não desista! Não importa quantas vezes cair, levante-se e continue de onde parou. Caso veja que está muito complicado, converse com seus pais, pastores, líderes ou amigo de confiança. Não descarte apoio psicológico, pois é uma batalha árdua.

Agora se você é casado(a), seguem abaixo algumas dicas:

1 – Vá dormir junto com sua/seu companheira(o). Nada de ficar até mais tarde na internet!

2 – Se abra com ela/ele sobre o assunto. Com certeza ela/ele poderá lhe ajudar a se vigiar e evitar as situações de risco.

3 – Configure o serviço Family Shield citado mais acima e peça para a companheira(o) escolher a senha sem que você saiba.

4 – Valorize os momentos de intimidade, foque naquele momento e evite ficar pensando nas coisas que você viu na internet. Lembre-se que boa parte do que se vê é encenação e mentira. A vida real é a intimidade e o prazer que Deus proporciona a duas pessoas que se amam e não entre duas pessoas que se usam.

Que a Paz de Cristo seja com você!
terça-feira, 23 de junho de 2015
Postado por Thiago Gomes Martins

A morte realmente é o fim?




A morte é o momento mais aterrador para o ser humano. O "deixar de existir" é simplesmente assustador demais. Dentro de cada homem e mulher existe um universo singular, complexidades que são únicas de cada ser. É triste e até revoltante saber que tudo o que aprendemos, tudo o que amamos e tudo o que acreditamos simplesmente possa se tornar nada em segundos. Será que somos só o que a biologia propõe? uma máquina feita para gerar outras máquinas e então desaparecer?

Não me levem a mal os evolucionistas, mas para mim seria um desperdício de tempo durante a evolução humana nos tornar tão complexos. Qual a necessidade de se admirar algo belo? De ouvir uma canção e se emocionar? Qual a necessidade da compaixão pura que as crianças tem e que já nascem com elas (e infelizmente vão perdendo quando crescem)? Não existem necessidades evolucionárias que justifiquem tais complexidades. Se o objetivo fosse nascer, crescer, se reproduzir e morrer não precisaríamos de muito. Aliás, os atributos humanos citados anteriormente podem ser considerados fraquezas em algumas situações.

O que posso ver é um ser que foi criado para algo além. Temos uma existência privilegiada perante todo o Universo, pois somos os únicos com consciência para admirar sua complexidade e magnitude. Diante disso, também somos o único ser que sente falta de um Criador para algo tão grandioso quanto a própria existência. Essa é outra característica totalmente desnecessária e até prejudicial para o sucesso reprodutivo da espécie, mas inegavelmente está em todas as civilizações conhecidas do passado ou do presente. De onde vem esse vazio espiritual?

Não, eu não sei explicar todos os "porquês" e "poréns" da existência da vida, mas vejo com clareza que não somos uma criatura qualquer, somos a primazia da criação. Não vejo como isso poderia acontecer de outra forma se não pelas mãos de um engenheiro extremamente ousado e meticuloso. Deus já nos criou cientes de sua existência, nos tornou semelhante a Ele para podermos admirar toda a criação. A beleza do ser humano reside em sua consciência e não em sua carne. Como poderia um artista permitir que sua obra-prima fosse destruída?

A consciência humana é eterna e Deus guardará tantas quantas quiserem ficar com Ele, pois são peças únicas de valor incalculável. Deixemo-nos pois na mão do Curador Zeloso e não nos entreguemos aquele que não nos dá valor algum, mas nos quer para destruir e corromper a linda obra que somos e assim atingir o Grande Criador.
sexta-feira, 28 de novembro de 2014
Postado por Thiago Gomes Martins

Como pode Deus ser justo quando vemos tanta injustiça no mundo?



Doenças, assassinatos, guerras, fome e tantas outras coisas que prefiro não citar aqui. A existência de tanta crueldade e sofrimento leva muitas pessoas a desconsiderar a existência de Deus ou a questionar suas virtudes. A primeira análise que precisamos fazer quando tratamos do assunto é sobre o livre arbítrio. 

O livre arbítrio é a capacidade e liberdade que cada ser humano tem de fazer suas próprias escolhas, traçar seu próprio caminho, independente de qualquer definição de "certo ou errado" (que alguns filósofos afirmam ser mera ilusão, somente reflexos do que se aprende). Todos sabemos que a vida é feita de escolhas e suas consequências. Sem consequências a liberdade de escolha não teria sentido. 

Imagine uma loja ter um modelo de camisa em todas as cores e você gostasse muito da vermelha, mas na hora que você falasse com o vendedor ele dissesse que a loja só vendia roupas da cor amarela? Qual o sentido de ter todas as cores se você só pode levar a amarela? Qual o sentido da livre escolha se no final o resultado é a mesmo? Isso não é livre arbítrio, é uma enganação. 

Portanto para haver livre arbítrio é preciso que existam escolhas e suas respectivas consequências. Qualquer interferência em um desses atributos faz com que a liberdade de escolha deixe de ser real. Deus nos criou com o livre arbítrio assim como fez com os anjos, pois nenhuma existência seria plena e nenhuma adoração sincera sem ele. 

Cada ser humano desde Adão tomou inúmeras escolhas erradas e as consequências devidas de cada um desses atos foram se acumulando  sobre a humanidade e a Criação até chegarmos onde estamos hoje: Um mundo onde todo valor moral é relativo. Deus não pode (não por não ter poder para tal, mas por ser justo) interferir no nosso livre arbítrio e com certeza sofre muito ao nos ver tomar caminhos ruins todos os dias em nossas vidas. Mais difícil ainda é ver inocentes pagando pelas escolhas incorretas de outras pessoas.

Vivemos em um mundo hipócrita que toma as decisões erradas e na hora que as consequências se apresentam queremos jogá-las nas costas de Deus. O que não podemos esquecer é que a vida humana é fumaça perto da Eternidade, e que toda injustiça será pesada e medida para ser julgada no Dia do Senhor. Deus não está simplesmente ignorando o sofrimento, mas observando atentamente para que cada um receba no momento certo o que lhe é devido, seja honra ou desonra. Devemos aprender a esperar e confiar no julgamento do Senhor, fazendo sempre o possível para tornar esse mundo um local mais justo até que esse dia chegue.

" Bem aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos."

                                                                                                            Mateus 5:6
quarta-feira, 26 de novembro de 2014
Postado por Thiago Gomes Martins

Pirataria é coisa de crente?

 Você já pensou que a música que você ouve e o filme que você assiste deveriam estar sendo pagos? A pirataria se disseminou de tal forma na Internet que muitos nem ao menos se dão conta de o que estão fazendo é errado.

Mais abaixo mostrarei soluções gratuitas ou baratas para que você possa fugir desse pecado.

Músicas 

  As opções para música são variadas, com conteúdo Premium e Grátis.

Spotify, Rdio ou Deezer


 Os mais populares serviços de Streaming de música pela internet (Spotify, Rdio e Deezer) possuem suas versões gratuitas, onde é necessário conexão com a Internet para ouvir músicas e além de algumas limitações e/ou propagandas. 

 Já na versão paga você poderá baixar as músicas diretamente para o seu smartphone ou tablet (Spotify também baixa para o PC) e ouvir quando e quanto quiser sem a necessidade de nenhuma conexão e sem nenhuma propaganda.
Todos possuem valores promocionais para novas adesões, mas o valor de suas assinaturas mensais sem promoção é de R$14,90 (o mesmo preço para os três).

Você terá acesso a cerca de 30 milhões de músicas em alta qualidade, todas organizadas de maneira incrível por um valor baixo e fixo no cartão de crédito.

Filmes

Crackle


Crackle é uma plataforma que disponibiliza filmes e séries de TV gratuitamente pela Internet para o seu computador, tablet ou Smartphone (também é possível colocar diretamente na TV com Chromecast ou Apple TV). Basta criar uma conta para ter acesso ao acervo, que ainda está crescendo mas já possui alguns filmes muito bons.

Netflix


 Sem dúvida o líder mundial em entretenimento por streaming, o Netflix oferece acesso ilimitado a um acervo impressionante de filmes e séries de TV. É diversão para toda a família, podendo ser acessado diretamente do computador, tablet, smatphone, SmarTV, Chromecast, Apple TV, PlayStation ou Xbox. Oferece um mês gratis para novos assinantes  e possui planos a partir de R$17,90 por mês no cartão de crédito.


Por menos de R$33,00 por mês (assinatura de um dos planos de Música + Netflix) você terá acesso ilimitado a muito entretenimento sem se preocupar em ter que procurar na Internet e sem nenhum peso na consciência.
terça-feira, 25 de novembro de 2014
Postado por Thiago Gomes Martins

Israel e Palestinos: Entenda as origens do conflito


        Muitos de nós já nascemos vendo a troca de agressões entre Árabes e Judeus. Uma questão delicada que começou a muito tempo atrás, com as diásporas sofridas por Israel.

        A primeira diáspora deu-se na época de Nabucodonosor, que sobrepujou o poder do Faraó Neco e dominou a região em 605 A.C. Assumindo o controle de Judá, Nabucodonosor levou muitos cativos de Jerusalém (entre eles o profeta Daniel). A partir desse momento o rei de Judá Jeoaquim (reinou entre 609 a 599 A.C.) fingia lealdade a Babilônia, mas em secreto tinha planos para independência de seu povo. Sabendo disso, Nabucodonosor derruba Jeoaquim do poder e coloca seu filho Joaquim no lugar. Para impor ainda mais seu poder, Nabucodonosor leva então um segundo grupo de cativos embora (desta vez o profeta a ir é Ezequiel).

        Mesmo com os dois grupos de cativos levados o povo judeu continuou a se levantar contra o Império Babilônico e junto com povos vizinhos planejavam a tão sonhada liberdade. Diante a situação Nabucodonosor volta a Jerusalém, mas desta vez derruba a cidade, destruindo o Templo de Salomão e saqueando seus tesouros. O golpe foi duro demais para o povo judeu, que já se encontrava dividido entre a Babilônia e os que permaneceram na Terra Prometida. Acredita-se que cerca de 40.000 judeus foram levados cativos a Mesopotâmia por Nabucodonosor. Fora esse total, temos os que se retiraram devido a grande destruição sofrida.

        Em Ezequiel 6 vemos o descontentamento de Deus com o povo de Israel, os entregando nas mãos dos inimigos por sua infidelidade:

1 Esta palavra do Senhor veio a mim:
2 "Fi­lho do homem, vire o rosto contra os montes de Israel; profetize contra eles
3 e diga: Ó montes de Israel, ouçam a palavra do Soberano, o ­Senhor. Assim diz o Soberano, o Senhor, aos montes e às colinas, às ravinas e aos vales: Estou prestes a trazer a espada contra vocês; vou destruir os seus altares idólatras.
4 Seus altares serão arrasados, seus altares de incenso serão esmigalhados, e abaterei o seu povo na frente dos seus ídolos.
5 Porei os cadáveres dos israelitas em frente dos seus ídolos e espalharei os seus ossos ao redor dos seus altares.
6 Onde quer que você viva, as cidades serão devastadas e os altares idólatras serão arrasados e devastados, seus ídolos serão esmigalhados e transformados em ruínas, seus altares de incenso serão derrubados e tudo o que vocês realizaram será apagado.
7 Seu povo cairá morto no meio de vocês, e vocês saberão que eu sou o Senhor.
8 "Mas pouparei alguns; alguns de vocês escaparão da espada quando forem espalhados entre as terras e nações.
9 Ali, nas nações para onde vocês tiverem sido levados cativos, aqueles que escaparem se lembrarão de mim; lembrarão como fui entristecido por seus corações adúlteros, que se desviaram de mim, e, por seus olhos, que cobiçaram os seus ídolos. Terão nojo de vocês mesmos por causa do mal que fizeram e por causa de todas as suas práticas repugnantes.
10 E saberão que eu sou o Senhor, que não ameacei em vão trazer esta desgraça sobre eles.
11 "Assim diz o Soberano, o Senhor: Esfregue as mãos, bata os pés e grite "Ai!", por causa de todas as práticas ímpias e repugnantes da nação de Israel, pois eles morrerão pela espada, pela fome e pela peste.
12 Quem está longe morrerá pela peste, quem está perto cairá pela espada, e quem sobreviver e for poupado morrerá de fome. Assim enviarei a minha ira sobre eles.
13 E saberão que eu sou o Senhor, quando o seu povo estiver estirado, morto entre os seus ídolos, ao redor dos seus altares, em todo monte alto e em todo topo de mon­tanha, debaixo de toda árvore frondosa e de todo carvalho viçoso ­- em todos os lugares nos quais eles ofereciam incenso aromático a todos os seus ídolos.
14 Estenderei o meu braço contra eles e tornarei a terra uma imensidão desolada, desde o deserto até Dibla - onde quer que estiverem vivendo. Então saberão que eu sou o Senhor".


        A segunda diáspora se dá no período de domínio Romano da região. No ano 70 depois de Cristo ocorre a Grande Revolta Judaica.  Nesta revolta Tito destrói Jerusalém e seu segundo Templo (Templo este que foi aumentado e embelezado pelo próprio Império Romano). Com a cidade em ruínas muitos a abandonaram.

        Em 117 mais um embate ocorreu, conhecido como Guerra de Kitos. Desta vez os revoltosos foram os judeus da diáspora, isto é, judeus que não moravam na Judéia. Com o Templo destruído, os Romanos converteram as ofertas enviadas ao Templo anualmente por estes judeus em imposto destinado ao templo de Júpiter, na capital do Império (Roma). Muitos se recusaram a pagar tal imposto, rebeliões explodiram em Alexandria e em várias outras cidades. Mais uma vez o Império Romano reprimiu com força, matando a muitos e destruindo o Templo judaico construído em Leontópolis.


        Houve então a terceira guerra entre os Judeus e os Romanos (Revolta de Bar Kokhba) em 135 D.C e desta vez a derrota foi terrível. Com milhares de mortos a Judéia ficou sob escombros. Os sobreviventes eram vendidos como escravos e os que não podiam trabalhar eram enviados para morte em demonstrações violentas de gladiadores e animais pelo Império para puro entretenimento do povo Romano.Aos que conseguiram escapar foi-lhes proibido pisar em Jerusalém novamente pelo Imperador Adriano, e a região passa então a se chamar Síria Palestina.

        Sem terra, os judeus se espalharam por diversas nações do mundo, onde por muitas vezes eram vistos como aproveitadores. Os povos não aceitavam a prosperidade de um povo que nem sequer daquele país era. Junto a isso, o Cristianismo crescente do período deixava claro que os judeus tinham matado o próprio filho de Deus. Isso foi o bastante para que com o tempo mais e mais povos desenvolvessem pensamentos preconceituosos e de ódio contra os Judeus.

        O ápice desse ódio deu-se durante a Segunda Guerra Mundial. Todo o cenário estava armado, esperando que houvesse alguém com coragem suficiente para puxar o gatilho do ódio contra o Povo Judeu. Essa pessoa foi Adolf Hitler.

        Após a derrota da Alemanha na Primeira Guerra Mundial, o país sofreu duras sanções e sua população passou por momentos muito difíceis. Hitler havia lutado nesta guerra. As motivações do ódio de Hitler pelos Judeus ainda é discutida por historiadores, mas o que se sabe é que ele considerava os Judeus como uma doença entre o povos europeus. Eram eles também os responsáveis pela decadência da civilização moderna. Apesar de recair sobre seus ombros, não foi só a nação alemã que exterminou judeus. Várias nações usavam seus judeus como moeda de troca com o Reich. Inicialmente usados para trabalho forçado em fábricas que faziam parte do esforço de guerra alemão, a matança sistemática (conhecida como "Solução Final") iniciou-se em junho de 1941.


        No final da guerra este foi o total de judeus eliminados nos países da Europa (quantidade e percentual):



Áustria 50,000 -- 27.0%
Itália 7,680 -- 17.3%
Bélgica 28,900 -- 44.0%
Latvia 71,500 -- 78.1%
Bohemia/Moravia 78,150 -- 66.1%
Lituânia 143,000 -- 85.1%
Bulgária 0 -- 0.0%
Luxemburgo 1,950 -- 55.7%
Dinamarca 60 -- 0.7%
Holanda 100,000 -- 71.4%
Estônia 2,000 -- 44.4%
Noruega 762 -- 44.8%
Finlândia 7 -- 0.3%
Polônia 3,000,000 -- 90.9%
França 77,320 -- 22.1%
Romênia 287,000 -- 47.1%
Alemanha 141,500 -- 25.0%
Eslováquia 71,000 -- 79.8%
Grécia 67,000 -- 86.6%
União Soviética 1,100,000 -- 36.4%
Hungria 569,000 -- 69.0%
Iugoslávia 63,300 -- 81.2%

*FONTE: Encyclopedia of the Holocaust


        Estima-se que 6 milhões de judeus foram mortos durante a Segunda Guerra. Com a pressão da comunidade judaica americana e em outros países, cada vez mais se via a necessidade de ser criado um estado judeu. A Terra prometida era dominada pelos britânicos na época e lá vivia o povo árabe que conhecemos como Palestinos. Os governos ocidentais não ajudaram os judeus por uma questão de bondade. O Oriente Médio sempre foi uma região de difícil dominação. O povo Árabe nunca aceitou o estilo de vida e modelo econômico ocidental e ter um Estado na região que se alinhasse com as ambições ocidentais era de muito interesse. Junto a isso existia o problema humanitário de milhares de refugiados sem ter para onde ir e que haviam perdido tudo.


        Em 29 de novembro de 1947 a ONU aprova a divisão da Palestina em dois estados (Árabe e Judeu):





        A parte azul era o Estado Judeu e a parte laranja era o Estado Árabe. Jerusalém e Belém ficaram sob domínio internacional, não pertencendo a nenhum dos dois Estados. Os Judeus aceitam a resolução, mas como era de se prever os Árabes não. Afinal, imagine alguém chegar em sua casa e dizer que agora metade é de outra pessoa? Deu-se início a uma guerra cívil entre àrabes e israelenses, que foi ignorada pelas tropas britânicas, já organizadas para se retirar da região.


        Em meio a muita violência o Estado de Israel declara sua independência em 14 de maio de 1948, poucas horas antes do fim do mandato britânico na Palestina. Já no próximo dia (15 de maio) os exércitos dos países Árabes (Egito, Síria, Iraque, Líbano e Arábia Saudita) atacam Israel por três frentes diferentes. Israel resistiu e venceu todos os inimigos (parece incrível isso não?). Após a vitória o território israelense aumenta ainda mais e passa a ocupar 75% do território da Palestina:





        Jerusalém fica dividida, ficando a parte ocidental sob controle israelense e a parte oriental sob controle da Cisjordânia. Em 1967 as tensões entre Israel e as nações Árabes voltam a ficar incontroláveis e todos mobilizam suas forças armadas para uma nova guerra. Em  5 de junho Israel inicia uma onda de ataques contra seus inimigos ( EgitoJordânia e Síria, apoiados pelo IraqueKuwaitArábia SauditaArgélia e Sudão) e mais uma vez sobrepõe o poderio militar de todos, no que foi conhecido como a Guerra dos seis dias. Israel ocupou a Cisjordânia e a seção oriental de Jerusalém. Apesar da ONU ter estabelecido através da Resolução 242 que Israel desocupasse os territórios invadidos, Israel ainda mantém ocupação até os dias de hoje nos territórios. O avanço sobre a Cisjordânia criou uma onda de refugiados para os países árabes vizinhos como a Jordânia e a Síria. Desde então os países árabes tem financiado grupos insurgentes nos territórios ocupados e em Gaza contra o Estado de Israel.


        Os estudiosos da Bíblia interpretam o retorno de Israel a sua terra como o cumprimento da profecia descrita no livro do profeta Ezequiel capítulo 37: 



1 A mão do Senhor estava sobre mim, e por seu Espírito ele me levou a um vale cheio de ossos.
2 Ele me levou de um lado para outro, e pude ver que era enorme o número de ossos no vale e que os ossos estavam muito secos.
3 Ele me perguntou: "Filho do homem, estes ossos poderão tornar a viver?"
Eu respondi: "Ó Soberano Senhor, só tu o sabes".
4 Então ele me disse: "Profetize a estes ossos e diga-lhes: Ossos secos, ouçam a palavra do Senhor!
5 Assim diz o Soberano, o Senhor, a estes ossos: Farei um espírito entrar em vocês, e vocês terão vida.
6 Porei tendões em vocês e farei aparecer carne sobre vocês e os cobrirei com pele; porei um espírito em vocês, e vocês terão vida. Então vocês saberão que eu sou o Senhor".
7 E eu profetizei conforme a ordem recebida. Enquanto profetizava, houve um barulho, um som de chocalho, e os ossos se juntaram, osso com osso.
8 Olhei, e os ossos foram cobertos de tendões e de carne, e depois de pele; mas não havia espírito neles.
9 A seguir ele me disse: "Profetize ao espírito; profetize, filho do homem, e diga-lhe: Assim diz o Soberano, o Senhor: Venha desde os quatro ventos, ó espírito, e sopre dentro desses mor­tos, para que vivam".
10 Profetizei conforme a ordem recebida, e o espírito entrou neles; eles receberam vida e se puseram em pé. Era um exército enorme!
11 Então ele me disse: "Filho do homem, estes ossos são toda a nação de Israel. Eles dizem: 'Nossos ossos se secaram e nossa esperança desvaneceu-se; fomos exterminados'.
12 Por isso profetize e diga-lhes: Assim diz o Soberano, o Senhor: Ó meu povo, vou abrir os seus túmulos e fazê-los sair; trarei vocês de volta à terra de Israel.
13 E, quando eu abrir os seus túmulos e os fizer sair, vocês, meu povo, saberão que eu sou o Senhor.
14 Porei o meu Espírito em vocês e vocês viverão, e eu os estabelecerei em sua própria terra. Então vocês saberão que eu, o Senhor, falei e fiz. Palavra do Senhor".


       Depois de muita morte, perdas e sofrimento o Senhor Deus trouxe seu povo novamente para a Terra Prometida. Fez reviver do túmulo uma nação quase dizimada e coloca os inimigos aos seus pés. Já se foram décadas e décadas de investidas inimigas, mas o que vemos é uma nação cada vez mais forte.

       Israel ainda teve muitos outros conflitos não citados aqui para não tornar este artigo ainda maior do que já é. Por isso caso queira se aprofundar existem muitos registros na internet sobre o assunto, muitos dos quais usados como fonte para este artigo. Usei tantas fontes que agora não consigo listá-las, mas as principais foram a Wikipedia e a bíblia.

       Espero que tenhamos lhe ajudado a entender melhor essa complicada trama.
sexta-feira, 18 de julho de 2014
Postado por O que a Bíblia me diz

App para crente! Bíblia no celular ou tablet


     De longe esse é o app mais completo que conheço para quem quer ter a palavra de Deus sempre à mão. Possui as seguintes funcionalidades:

      -Bíblia completa com pesquisa. A pesquisa é boa, mas traz resultados não desejados dependendo da palavra digitada na pesquisa. Eu, por exemplo, digitei a palavra “ossos” e além dos resultados para a palavra “ossos”, também trouxe resultados com “vossos” e “nossos”, o que aumentou substancialmente a quantidade de resultados da pesquisa e dificultou a procura pelo versículo que eu realmente queria.

      -Você pode adicionar um versículo a uma lista de favoritos, além de permitir que se façam anotações sobre os versículos (não somente os favoritos). Pode também compartilhar os versículos em redes sociais, além da capacidade de copiar o texto para você colar em um arquivo de texto por exemplo.

      -Devocional diária: um versículo para reflexão por dia.

      -Hinários Cantor Cristão, Novo Cântico, Culto Cristão e Hinário Adventista (falta a Harpa Cristã, mas por questões de direitos autorais). Também é possível fazer busca nos hinários.
Obs: a busca não funciona bem dentro dos hinos, mesmo digitando exatamente o que está escrito no hino ele não encontra sempre o desejado. Portanto se souber o título ou número do hino será melhor.

      -Plano de estudo da bíblia, ela toda ou só um livro. Se você quiser estudar a Bíblia toda deve configurar o livro para Gênesis capítulo 1. O App dividirá a Bíblia na quantidade de dias escolhidos (1 mês a 1 ano). Se você quiser ler uma outra parte fora da ordem, deve ir pulando o dia até achar a parte que deseja ler. Se você mudar o livro ou o capítulo e clicar em carregar você vai zerar seu plano atual e iniciar outro ok?

      -Você também pode alterar a versão do texto, (King James, Almeida, etc...) além de outras línguas também estarem disponíveis.

      -Dicionário.

      -Mapas bíblicos no Google maps (viagens de Paulo).

     O app possui ads (propaganda) que podem ser retirados pagando U$$1,99 (algo em torno de 5 reais), um valor irrisório pela qualidade do trabalho realizado pelo desenvolvedor. Existem ainda algumas outras funcionalidades que você pode checar na hora de fazer o download.

     É um app que vale a pena. Ele melhorou muito desde sua primeira versão e acredito que melhorará mais ainda. Como principais pontos de melhoria ficam:

      -Melhorar a busca nos hinários, pois geralmente lembramos uma parte do hino, mas não seu título.

      -A pequena questão da busca na Bíblia também podia melhorar.

      -Um jeito mais fácil de viajar entre os livros dentro do estudo da Bíblia, já que atualmente é preciso navegar entre os dias para encontrar o que queremos ler.

     O Desenvolvedor é Marcel Rocco e seu e-mail é mrocco.mobile@gmail.com. O site para mais informações é bibliajfa.com.br.
      Gostei muito de quem ele colocou como autor: Deus. Isso demonstra realmente um desenvolvedor cristão abençoando aos irmãos com o conhecimento que Deus lhe concedeu!

Peça teatral para incentivar evangelismo e missões: Precisa-se de Soldados


Atores e materiais: 3 homens com roupas militares (camufladas). Seria importante se existisse alguma diferenciação para o capitão (uma boina ou um chapéu militar por exemplo).


     Dois atores representarão soldados e um representará um capitão.

     A música começará a tocar, e no momento que os tambores começarem os dois soldados entrarão no ambiente marchando lado a lado (o da direita segurando uma bíblia do lado direito e o da esquerda segurando a bíblia do lado esquerdo) , muito sérios, e então irão parar no local indicado para a apresentação, ficando em posição de sentido lado a lado e de frente para o púbico, segurando a bíblia sobre o peito.

     A música continuará e então é a vez do capitão entrar. O capitão entra com um passo mais vagaroso, como se analisando o local. Chegando até a frente presta continência aos soldados e grita:

Descançar!


     Os soldados então podem colocar uma das mãos para trás, segurando a Bíblia na outra mão e abrir um pouco as pernas.

     Nesse momento a musica terá o volume reduzido até cessar.

    O capitão vira-se para frente e começa a olhar para as pessoas sentadas nos bancos da igreja com uma cara muito séria. Anda um pouco pela igreja como se quisesse observar melhor todas as pessoas que estão ali (não pode demorar muito... uns 15 segundos está ótimo para dar o clima desejado). Volta até a frente e fará a apresentação do discurso:

“Atenção Homens! A guerra a muito começou, porque estão aí parados olhando o mundo padecer sem fazer nada? Deus já os chamou há muito tempo para lutar nas forças celestiais, porque não têm treinado para a batalha? Porque não têm aprendido a manejar sua espada? Porque não estão vestidos com sua armadura e seu escudo?


Pois saibam vocês que o exército adversário é forte e numeroso. O inimigo do nosso Rei tem matado e destruído tudo o que vê em seu caminho. As notícias da linha de frente nos mostra que feroz ele vem, sedento pelo sangue dos justos.


Coisas terríveis tem feito contra nossos soldados. Muitos assassinados a sangue frio. Em algumas partes do mundo recompensas são oferecidas para aqueles que denunciarem onde estão os membros de nosso Exército.


Apesar de tudo, não deixem o inimigo lhes assustar com os soldados que foram abatidos, pois grande honra será dada a eles por nosso General ao findar da guerra. Precisamos seguir em frente e continuar a batalha. Sabemos que a vitória já é nossa graças ao nosso Poderoso Rei!


Portanto deixem a meninice espiritual e a falta de disciplina. Tornem-se combatentes preparados e obedientes ao vosso Rei até o último suspiro de vida.


Como vocês querem ser conhecidos no final da guerra? Como os soldados que não tiveram coragem de sair de suas barracas enquanto os demais gritavam por socorro do lado de fora? Deseja você sair de mãos vazias, sem nenhuma condecoração?


Coisas gloriosas estão reservadas aos que lutarem ao lado dos justos. Não perca a oportunidade de se tornar um Soldado de Jeová! Aliste-se hoje mesmo no Exército mais que vencedor!“

     A mesma música volta do início e o capitão se retira olhando para frente com a cabeça erguida. Após a saída do capitão saem os soldados, marchando lado a lado.

     A música então pode encerrar e a peça dada como finalizada.
terça-feira, 15 de julho de 2014
Postado por Thiago Gomes Martins

Postagens Populares

Thiago Gomes Martins. Tecnologia do Blogger.

Busque no blog

Carregando...

- Copyright © Conhecendo a Bíblia -Metrominimalist- Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -